Na Índia os mestres dizem: os problemas são despertadores que tentam acordar as pessoas para a vida. Aproveite para acordar logo, antes que o próximo despertador faça mais barulho. (Roberto Shinyashiki)

domingo, 20 de setembro de 2015

De volta!

     Meus queridos leitores e amigos visitantes, 

mais uma vez muito obrigado pela companhia. 

Depois de certo tempo sem atualizar os textos do blog, 

resolvi retomar os trabalhos por aqui.


     Por qual motivo dessa decisão?
     São vastos acontecimentos (e devastantes), tanto nacionais quanto internacionais, que é impossível ficar apático. Não podemos jamais, sermos tímidos espectadores onde deveríamos sermos ágeis atores. AUGUSTO CURY

segunda-feira, 26 de maio de 2014

A lição da borboleta

  Conta uma lenda que num certo dia um homem ao observar uma árvore percebeu um casulo que tinha uma pequena abertura recém formada. Ele ficou ali observando a borboleta que iria nascer e notou que a borboleta se esforçava muito para romper o casulo. E assim ela ficou por várias horas, tentando fazer com que seu corpo passasse através daquele pequeno buraco. Até que aparentou que tinha ido o mais longe que podia e não conseguiria ir mais além.
Com isso o homem decidiu ajudar a borboleta e com uma tesoura cortou o restante do casulo. Assim a borboleta saiu facilmente. Mas seu corpo estava inchado e as asas amassadas.
O homem continuou a observar a borboleta pois ele esperava que , a qualquer momento, as asas dela se abrissem e esticassem para ser capazes de suportar o corpo, que iria se afirmar a tempo. Nada aconteceu! Na verdade, a borboleta passou o resto de sua vida rastejando com o corpo inchado e asas encolhidas. Ela nunca foi capaz de voar.
O que o homem em sua gentileza e vontade de ajudar não percebeu era que o casulo apertado e o esforço necessário para a borboleta passar através da pequena abertura era a maneira que DEUS fez com que o fluído do corpo da borboleta fosse para as suas asas de modo que ela estaria pronta para voar uma vez que estivesse livre do casulo.
Algumas vezes o esforço é justamente o que precisamos em nossas vidas. 
Se DEUS nos permitisse passar nossas vidas sem quaisquer obstáculos, ELE nos deixaria aleijados. Nós não iríamos ser tão fortes como poderíamos ter sido. 
Nós nunca poderíamos voar.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Mediocridade

  Quanta irresponsabilidade. A mídia brasileira preocupa-se mais com a finalização das obras dos estádios, palco dos jogos da Copa Fifa, do que a de hospitais, escolas, creches e etc.
  Será mais vergonhoso pra uma nação ser desprovida de estádios esportivos ou de educação, saúde, emprego?
    O Brasil tem os melhores jogadores do planeta oriundos de campos de areia, quadras sem tinta, gol sem rede, chão batido.
  Se a Copa fosse à solução de um país econômica, política e socialmente a África estaria num outro patamar.

  A exclusividade da Copa ser no Brasil é passageira, porém a pobreza, as dificuldades das famílias, a violência não muda.

sexta-feira, 14 de março de 2014

Sozinho no carro X Enlatado no ônibus

  Dirigir sozinho no carro ou andar sem conforto no transporte coletivo

  Ultimamente tem se falado sobre o grande numero de carros nas vias com poucas pessoas nos veículos, geralmente só o motorista.
  Supor ao cidadão mudar o hábito de dirigir e passar a locomover-se de carona com o vizinho, amigo de trabalho pode até ser aceitável. Mas pedir para esse motorista deixar o carro na garagem e andar de transporte público?
  É nítido que as estradas estão superlotadas de veículos, mas no caso do transporte público, este  também corriqueiramente possui todos os lugares ocupados, ônibus e metrô quase sempre superlotados. Se os motoristas solitários dos carros passarem a frequentar o transporte público, possivelmente será resolvido o problema da grande quantidade de carros circulando nas ruas,  mas em contrapartida aumenta ainda mais o problema da hiper lotação do transporte público.
  Solucionar um problema e aumentar outro não é inteligente. Contudo quando o transporte coletivo ser um atrativo confortável no Brasil, é de se esperar que os condutores de carro particular passem a ter o hábito de usar o transporte público, como acontece no Japão, por exemplo.


Pesquisar neste blog